Documentação Ortodôntica, eu tenho que fazer?

Algumas pessoas que procuram tratamento ortodôntico na minha clínica questionam se seria necessário fazer a documentação ortodôntica para realizar o tratamento. Alegando que alguns ‘ortodontistas’ não estão pedindo mais a tal documentação.
A minha resposta é:
- Sim e não! Mas eu sempre vou pedir a documentação para iniciar um tratamento.

Primeiro: É ético e legalmente recomendável ter registro radiográfico de TODOS os pacientes.

Segundo: A documentação é um conjunto de exames-diagnóticos que vai nos auxiliar na tomada de decisão de alguns tratamentos bordeline.

Uma Documentação Completa deve ser composta por quatro itens:

1 – Fotos:
O conjunto de fotos que, vem na pasta ortodôntica, é de suma importância para realização de um bom diagnóstico. Através das fotos, podemos observar várias ocorrências. Podemos pesquisar a harmonia da face e do perfil dos pacientes. Podemos visualizar discrepância nas arcadas dentárias. E é um excelente meio para visualizarmos as modificações que vão ocorrendo durante o tratamento. Assim, comparar o início, decorrer e fim do tratamento.
2 – Radiografias:
     A – Tele-radiogrrafia – Norma lateral: Através dessa radiografia é realizado um estudo chamado Cefalometria. A Cefalometria fornece as dimensões das estruturas da face e do crânio, as relações entre diversas estruturas importantes e nos dá pista da tendência de crescimento do paciente. Assim, podemos avaliar as anormalidades presentes no crânio e na face.
     B – Panorâmica: É a radiografia que nos fornece uma visão geral dos dentes e das estruturas adjacentes como o seio maxilar e articulações, sem fornecer, no entanto, detalhes específicos. Podemos, também, observar ocorrências incomuns como: cáries, ausência dental, dentes inclusos, elementos extranumerários, cistos, tumores e lesões periapicais. Através dessa radiografia podemos visualizar todos os dentes de uma só vez, inclusive os que ainda não nasceram. Ainda, servirá de controle comparativo, juntamente com as radiografias periapicais, após o término do tratamento.
    C – Periapicais: Fornece detalhes dos eventos vistos nas radiografias panorâmicas. Serve de comparativo para avaliar reabsorções radiculares após o término do tratamento.
   D – Outras radiografias que podem fazer parte da documentação são as oclusais e as radiografias de punho e mão.
3 – Análise Cefalomêtrica:
Confeccionada com dados coletados a partir da Tele-radiografia. Proporciona valores e medidas das estruturas da face e do crânio. Fornecendo pistas valiosas de como o tratamento ortodôntico pode ser conduzido.
4 – Modelos de Estudo:
Cópia da situação inicial da boca do paciente. Através deles, o ortodontista poderá ter a real visão das posições dentárias e encaixe das arcadas. Nos modelos de estudos podemos fazer observar as posições dos dentes, sem que outras estruturas (bochecha, língua, abertura de boca limitada) interfiram. Através dos modelos de estudos periódicos, podemos a evolução dos tratamentos e corrigir a rota quando necessário.
Então, se a documentação pode me ajudar a realizar um tratamento com mais segurança, pode me auxiliar nos casos mais difíceis. E, além disso, é um documento de grande valor. Não faz sentido abrirmos mão dela, pensem nisso!
; )

Deixe o seu comentário sobre o assunto, quero saber a sua opinião!

Compartilhe no Facebook