Segunda Opinião – Turma do Bem: Como ganhar o “Prêmio Melhor Dentista do Mundo de 2010″ by Carmen Falcon

Este artigo da Coluna Segunda Opinião foi um grande trabalho de equipe. Começou com o Neto Miná assistindo à palestra da Turma do Bem no CIOSP, passou por uma troca de e-mails, varou a madrugada na TimeLine do Twitter e agora tem o imenso prazer de publicar o artigo da Dra.Carmen Falcon.
 Nesse inspirador artigo, Carmen Falcon - Coordenadora do Projeto Dentista do Bem no Rio de Janeiro - narra a fascinante história da formação da Turma do Bem na cidade Maravilhosa.
Leia,  se inspire e mude a realidade ao seu redor.

Bio:

Formada em Odontologia desde 1986 pela Universidade Federal Fluminense, ao longo dos anos trabalhou na iniciativa privada e no serviço público, além do próprio consultório.

Ortodontista por opção, batalha no terceiro setor desde 2006 como Coordenadora do Projeto Dentista do Bem no Rio de Janeiro, fazendo da sua profissão um meio de levar esperança de inclusão social àqueles que realmente precisam. Enfim, alguém que acredita que todo mundo é capaz de mudar o mundo! Basta ter vontade!

 contato:

Coordenação Regional – RJ Projeto Dentista do Bem – Turma do Bem

www.turmadobem.org.br

 A minha história com a Turma do Bem é um tanto peculiar. Eu sempre quis fazer algo por aqueles que realmente precisam. Quando me perguntavam o que eu faria se ganhasse na mega sena, eu dizia que construiria uma super clínica com tecnologia de ponta e profissionais hiper competentes para atender gratuitamente às pessoas realmente pobres. Queria fazer algo por quem precisa com o dom que possuo: minha profissão. A mesma com a qual ganho meu sustento. Uma coisa meio “Robin Hood”, meio sonhadora… Enfim, o tempo passava e nada de realizar o tal sonho. Primeiro porque não tenho o hábito de jogar e, segundo, porque a minha especialidade (ortodontia) não é vista como uma especialidade de cunho social, infelizmente.

Um dia, encontrei uma matéria sobre a Turma do Bem em um jornalzinho da SL Mandic: “Doe um horário na sua agenda”, estava escrito. Pensei: poderia atender no meu próprio consultório! Imediatamente mandei o e-mail e, para minha surpresa, ao invés de dentista voluntária me pediram para ser COORDENADORA DO RIO DE JANEIRO. Como assim? Trabalhando em três lugares, dois filhos adolescentes, casa e, para completar, descobri que tínhamos somente vinte dentistas voluntários cadastrados no Município. Como é que podia dar certo com vinte dentistas?  Respondi: “Posso tentar, mas não garanto. Fico um tempo e, se não der certo, vocês colocam outra pessoa, ok?” Sabe o que aconteceu? Os loucos aceitaram!

Agora sim eu tinha um problema! Como é que eu ia conseguir mais dentistas voluntários para atender à garotada que aguardava ansiosa na fila de espera? Mas, como Deus ajuda, veio o CIORJ 2007 e conseguimos mais de 500 voluntários. O Rio deu um show!

E as dificuldades não ficaram por aí, pois, desde então, o número de Dentistas do Bem no Rio sempre foi maior do que número de crianças. Devido à situação geográfica da cidade era um desafio fazer com que as crianças que realmente precisam (que ficam nas áreas mais afastadas) chegassem aos dentistas (em sua maioria, na zona sul). Encontrávamos grande dificuldade em fazer as triagens nas escolas do município do Rio em virtude da enorme burocracia que não nos permitia o acesso. Até meados de 2009 eu realmente não sabia o que fazer para resolver esse problema. E, como Deus ajuda (e a gente sempre coloca Deus no meio), a solução veio da maneira mais inesperada. Em setembro de 2009, organizando um almoço de ex-alunos de colégio, encontrei outra ex-aluna que me chamou e disse ser responsável pelo Projeto Bairro Educador da SME (Secretaria Municipal de Educação) e propôs trabalharmos em parceria, pois percebeu que o Dentista do Bem poderia somar com seu projeto. BINGO! Na mesma semana nos reunimos oficialmente e, finalmente conseguimos entrar nas escolas da cidade, inclusive nas tais comunidades de difícil acesso. A partir de então, fizemos um número recorde de triagens e o resultado: crianças finalmente encontrando Dentistas do Bem, mesmo as que vivem em comunidades onde reina a desigualdade.

Desde que conheci essa Turma, ela passou a fazer parte da minha vida. Há cinco anos nessa adorável loucura de triagens, stands, eventos, capacitações, parcerias, etc, hoje não preciso mais sonhar em construir uma clinica. Tenho muito mais que isso. Encontrei a MINHA TURMA! Uma Turma tão especial que criou uma grande disputa aonde ganha quem mais faz o bem. Lindo não é? A premiação mais aguardada do ano: Sorriso do Bem.

Rompemos as fronteiras e hoje somos uma rede de 8000 dentistas voluntários: no Brasil, na América Latina e em Portugal.  Levamos a possibilidade de atendimento odontológico gratuito de qualidade a mais de 15000 jovens. Queremos permitir que estes jovens tenham oportunidade de ingressar no mercado de trabalho. Por isso, este ano a TDB criou o prêmio MELHOR DENTISTA DO MUNDO. Quem é esse dentista? Não é o que faz a melhor restauração, mas sim aquele que consegue promover soluções de acesso ao tratamento odontológico, transformando a realidade dos nossos jovens, além de mobilizar outros profissionais para uma nova conduta de responsabilidade sócio-ambiental.

Para minha total surpresa, no primeiro ano do prêmio, ganhamos! Nunca pensei que nosso trabalho fosse tão bom. Não dá para imaginar! Sempre achamos que podemos fazer mais. Mas, uma coisa é certa, NADA disso teria acontecido se não trabalhássemos em equipe. Criamos uma verdadeira rede de trabalho no Rio e a nossa união permitiu que o trabalho crescesse e se desenvolvesse desta forma. Atualmente somos 10 coordenadoras: Andrea Ximenes, Ellen Bundzman, Hellen Mary, Julia Costa, Sônia Pereira, Márcia Ribeiro, Miriam Moreira, Rosana Bazzo, Vera Quintella e eu. As cariocas (até parece seriado de tv) puderam mostrar para todos que só com união e trabalho conjunto podemos chegar a algum lugar. Por isso sempre digo que esse prêmio não é só meu! É nosso! Nós somos as MELHORES DENTISTAS DO MUNDO!

Gostaria de esclarecer que a maior importância que vejo em ganhar este prêmio, é o significado que ele traz para meu Município. Ganhar significa que no Rio de Janeiro o projeto está crescendo e que mais jovens têm acesso ao tratamento odontológico de qualidade, gratuitamente. Além disso, mostra que muitos dentistas cariocas participam desse movimento social.

Criamos sorrisos. Doamos oportunidades. Simples assim!!!!

Desse jeito podemos realmente mudar o olhar da sociedade sobre a questão da saúde bucal no Brasil. EU ACREDITO!

PS: Fazer o bem vicia!

Carmen Falcon
(Coordenadora do Projeto Dentista do Bem no Rio de Janeiro)