TALVEZ VOCÊ TENHA — B A R O D O N T A L G I A — E NEM SABE!

Barodontalgia (‘baro’ – prefixo de origem grega que indica pressão):

É uma dor aguda intensa gerada na subida ou descida de aeronaves e causada pela diferença de pressão atmosférica no dente acomete pessoas em todo o mundo, porém muitas delas não sabem a causa e podem confundi-la com outras dores provenientes de regiões da face, principalmente o ouvido. Esta condição ocorre pela diferença de pressão atmosférica entre o ar do ambiente e o existente em cavidades dentárias, que expande e procura uma via de escape, o que pode levar à compressão das terminações nervosas da polpa, osso ou ligamento periodontal

Podendo levar à vertigem, incapacitação e finalização prematura do voo, quando acomete os pilotos.

Segundo a Doutora Marilia Fagury Videira Marceliano-Alves, Endodontia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), a barodontalgia é um sintoma e não uma condição patológica e, na maioria dos casos, é a exacerbação de uma condição oral subclínica pré-existente, como cárie dentária, restaurações mal adaptadas, pulpite, necrose pulpar, periodontite apical, bolsas periodontais, dentes retidos, fratura radicular e cistos periapicais.

Os fenômenos fisiológicos e patológicos relacionados com as mudanças barométricas podem ocorrer durante voos, mergulhos, escaladas de montanha, em câmaras hiperbáricas ou outras pressões ambientais. A pressurização das cabines de avião ajuda a reduzir a prevalência da barodontalgia.
Geralmente, a dor na subida está relacionada com a doença de polpa vital e a dor na descida com a necrose pulpar ou barotrauma facial (trauma barométrico relacionado aos seios paranasais e ouvido).

As pessoas que tenham uma infecção ou uma alergia que afete o nariz e a garganta podem sentir queixas quando viajam de avião ou mergulham. Um descongestionante alivia a congestão e ajuda a abrir as trompas de Eustáquio, igualando a pressão em cada um dos lados dos tímpanos.

Uma polpa saudável não é afetada pela mudança barométrica, no entanto existem casos de barodontalgia em dentes tratados endodonticamente, restaurações defeituosas, lesões cariosas, restaurações profundas e, principalmente, em casos de pulpite. Outra situação que os cirurgiões-dentistas precisam considerar são as restaurações desadaptadas, porque em casos de polpa viva as alterações barométricas podem forçar os fluidos para fora dos túbulos dentinários, causando sensibilidade.

“A pulpite é a principal causa relatada de barodontalgia no voo e pode se manifestar através de uma dor aguda penetrante ou pulsátil.Em casos de tratamento endodôntico incompleto ou de polpa necrosada, o ar existente na cavidade pulpar pode expandir e ser forçado a sair, devido ao aumento de pressão, levando ao enfisema periapical. Em casos de abscessos, o conteúdo necrótico de dentro do canal pode extruir para os espaços perirradiculares, causando dor e infecções ósseas” – afirma Dra. Marilia.

A manutenção da saúde oral da população, principalmente de pilotos e aeronavegantes, é de extrema importância para que se evitem episódios de barodontalgia no ar. O diagnóstico diferencial entre dor odontogênica e barodontalgia em voo é o melhor caminho para se buscar o profissional certo para cada caso. Pilotos e aeronavegantes que relataram ocorrência de barodontalgia, devido a problemas endodônticos, o protocolo é o atendimento em sessão única com a realização de uma excelente obturação do sistema de canais radiculares, bem como a restauração do dente o mais brevemente possível, para se evitar novos episódios de dor dentária em voos.

FONTE:
1 – Barodontalgia – Rev. Bras. Odontol. vol.69 no.2 Rio de Janeiro Jul./Dez. 2012 – Cíntia de Assi
2 – PORTAL POR ENTRO DA DOR OROFACIAL – Barodontalgia: dor em dente por diferença em pressão atmosférica. – Juliana Stuginski-Barbosa

Compartilhe no Facebook
loading...

Um comentário

  1. Excelente site, parabéns Deus te abençoe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*