# 10 VERDADES SOBRE REABSORÇÃO RADICULAR QUE VOCÊ — NÃO — SABIA!

1 – Tratamento endodôntico não aumenta a chance de reabsorção dentária durante a movimentação dentária induzida e nem protege o dente da mesma.
2 – O movimento ortodôntico não promove necrose pulpar. A magnitude das forças não é suficiente para romper o feixe vascular. Isso ocorre nos traumatismos e outras causas em que forças súbitas e concentradas atuam no ápice dentário.
3 – Mulheres não têm maior probabilidade de apresentar reabsorções. O risco é igual para ambos os gêneros.
4 – A idade maior não aumenta o índice de reabsorção durante o tratamento ortodôntico.
5 – Anticoncepcionais não aumentam o risco de reabsorção durante o tratamento ortodôntico.

Reabsorção Radicular e Mineralização Pulpar:

6 – Aspirina e drogas semelhantes não dificultam clinicamente a movimentação dentária induzida ou interfere no índice de reabsorção dentária.
7 – Mulheres grávidas não tem mais reabsorções dentárias se os dentes forem movimentados ortodonticamente, mas a mudança de condição de vida recomenda esperar passar o período para melhor conforto da paciente.
8 – Alterações endócrinas ou hormonais não induzem ou influenciam no índice de reabsorção dentária. Os dentes não são reservatórios de cálcio e outros íons utilizados para manter o equilíbrio iônico do organismo, como ocorre com os ossos.
9 – Não existe predisposição individual, genética, ou hereditária à reabsorção dentária, mas sim morfologiasreab2 radiculares, apicais e da crista óssea alveolar que promovem maior concentração de uma determinada área do ligamento periodontal. Essas podem apresentar precocemente reabsorção dentária, mesmo quando as forças forem bem dimensionadas.
10 – Doenças ou alterações sistêmicas não induzem reabsorções dentárias, exceto a osteodisplasia fibrosa hereditária, uma doença grave, muito rara, que envolve todo o esqueleto com deformações associadas a reabsorções dentárias múltiplas, especialmente cervicais internas.

FONTES:
REABSORÇÕES DENTÁRIAS NAS ESPECIALIDADES CLÍNICAS
ALBERTO CONSOLARO
DENTAL PRESS EDITORA

Compartilhe no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*