[VÍDEO] COMPLICAÇÕES em ODONTOLOGIA: fratura de agulhas, alergias a medicamentos e necrose pós-cirúrgico entre outras…

O risco é inerente a todo e qualquer procedimento operatório odontológico. O profissional deve aprender a conviver com o risco e administrá-lo, uma vez que é impossível evitá-lo em todos os casos. O significado de risco é a de perigo ou possibilidade de perigo. O acidente é um acontecimento fortuito, infeliz, casual, que pode resultar em prejuízo, dano ou avaria.
O significado mais adequado de complicação é a de obstáculo, dificuldade ou embaraço. De acordo com estes conceitos podemos inferir que acidente é algo que não era previsto inicialmente, e que complicação de certa forma é algo que pode ser esperado.

Dados da literatura mostram que a média de acidentes e complicações em odontologia em geral gira em torno de 5%. Portanto, devemos monitorar nossas taxas de complicações e mantê-las dentro desse limite. Índices muito acima de 5% requerem atenção especial e revisão sistemática dos protocolos, pois algum fator desconhecido pode estar interferindo negativamente.

Um detalhe importante é que o paciente também tem a sua parcela de responsabilidade para com o sucesso do tratamento e minimização dos riscos, pois ele deve seguir adequadamente as recomendações pós-operatórias.

Exemplos clássicos são os pacientes com péssima higiene oral e/ou tabagistas. Estes pacientes precisam melhorar a higienização e não fumar no pós-operatório, pois sabidamente aumentam os índices de infecções e hemorragias pós-extração dental bem como em regiões enxertadas ou que receberam implantes osseointegráveis, podendo levar à perda dos mesmos.

Acidentes e complicações em odontologia não necessariamente significam insucesso do procedimento. Elas podem ocorrer concomitantemente ou não. Existe o risco de acidentes e complicações, bem como o risco de insucesso do tratamento. Isso confunde muitos pacientes quando do acontecimento. O diagnóstico e planejamento do caso devem ser explicados para o paciente, de maneira que tenhamos um equilíbrio entre satisfazer a queixa principal do mesmo e a indicação do procedimento.

FONTE:
ACIDENTES, COMPLICAÇÕES E INSUCESSO EM CIRURGIA BUCAL: UMA REFLEXÃO
Dr. Jorge Liporaci Jr  – Cirurgião Buco-Maxilo-Facial (Ribeirão Preto-SP)

Compartilhe no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*