HERPES: TUTORIAL DEFINITIVO — Sintomas, causas e Tratamento.

Herpes labial é uma doença infecciosa causada, principalmente, pelo vírus HSV1. Trata-se de uma doença altamente contagiosa que afeta uma porção significativa da população.

A principal manifestação do Herpes simples é a presença de pequenas vesículas agrupadas que podem aparecer em qualquer parte do corpo, mas que em geral surgem nos lábios e nos genitais. Nos lábios, elas se localizam, preferencialmente, na área de transição entre a mucosa e a pele e de um lado só da boca, embora na primeira infecção possam ocorrer quadros mais extensos.

O Herpes nem sempre se manifesta em surtos, em média aparece de 4 a 6 vezes por ano. Alguns fatores favorecem os surtos, tais como febre, exposição ao sol, estresse e menstruação. O tratamento medicamentoso é muitas vezes decepcionante ineficiente. No entanto, alguns cremes e curativos podem atenuar os sintomas.

Prevenção:
– Evite contato direto com feridas de herpes. Minimize o risco de disseminação indireta lavando bem itens, como toalhas e talheres, antes de reutilizá-los. De preferência, não compartilhe itens com uma pessoa infectada, principalmente quando ela tiver lesões de herpes. Evite desencadeadores (principalmente exposição ao sol) se tiver tendência ao herpes labial.

– Evite fazer sexo oral quando estiver com lesões de herpes na boca ou perto da boca e evite receber sexo oral de alguém que tenha lesões de herpes genital ou oral. Os preservativos podem ajudar a reduzir, mas não eliminar totalmente, o risco de pegar herpes no sexo genital ou oral com uma pessoa infectada.

– Atenção: Os vírus do herpes oral ou genital podem às vezes ser transmitidos mesmo quando a pessoa não apresenta lesões ativas.

1. Quanto tempo dura a infecção e quais são os principais sintomas? Geralmente, a crise de herpes dura de 7 a 10 dias. Horas ou um dia antes do aparecimento das vesículas na pele, algumas pessoas pressentem a crise pelos sintomas desagradáveis de ardor, queimação ou coceira no local afetado, porque o vírus está replicando e caminhando pelo nervo.

2. O herpes simples pode aparecer em qualquer lugar do corpo. O que explica essa predileção pelos lábios e pelos genitais?Embora as lesões possam aparecer em qualquer parte do corpo, a transmissão do vírus do herpes labial geralmente se dá na boca. A pessoa tem uma feridinha, entra em contato direto com o vírus pelo beijo ou pela saliva, por exemplo, ele penetra e procura um nervo onde fica latente até provocar uma infecção. Já o herpes genital é transmitido por via sexual e pode aparecer também nas nádegas ou na região perineal.

3. Um fato que desorienta os portadores de herpes é que, às vezes, as crises se repetem com muita frequência e, de repente, ocorrem longos períodos de remissão. Como se explica isso? A ocorrência das crises está intimamente relacionada com a imunidade das pessoas. Se ela estiver baixa, o vírus replica, vence o exército de defesa do organismo e as crises se tornam mais frequentes. Se a imunidade estiver boa, os períodos de remissão podem ser longos.

4. Existem vacinas para impedir que as lesões voltem? Infelizmente, elas ainda não existem. Foram criadas algumas vacinas do tipo recombinante que não funcionaram a contento. Atualmente, uma vacina está na fase de teste em humanos. Conforme os resultados, talvez se possa proporcionar algum alívio para os indivíduos com crises frequentes.

5. Como os medicamentos devem ser utilizados? Quando é ideal começar o tratamento? O ideal é começar o tratamento o mais depressa possível. Assim que o indivíduo perceber a instalação dos sintomas ou pressentir a chegada da crise, deve começar a tomar antivirais. Dependendo da droga, o tratamento pode começar 72 horas antes das primeiras lesões aparecerem e deve ser mantido durante cinco ou sete dias. Pacientes bem treinados no reconhecimento precoce desses sinais dizem que conseguem até “abortar” a crise, se tomarem logo a medicação. Mesmo que isso não aconteça, esses remédios encurtam a duração da doença e diminuem o número de lesões e a intensidade dos sintomas.

6. Complicações Possíveis: Se não for tratada, o herpes labial pode levar a problemas como:

  • Recorrência do herpes labial
  • Disseminação do herpes para outras áreas da pele como os olhos
  • Infecções bacterianas secundárias na pele
  • Infecção generalizada, deve ser rapidamente diagnosticada pelo médico
  • Cegueira.

Resumão
EU TENHO HERPES LABIAL, QUE DEVO FAZER?

1. A primeira orientação que se dá aos pacientes sempre diz respeito aos cuidados locais de higiene. Lavar bem as mãos, evitar contato direto com outras pessoas e não furar as bolhas sob nenhum pretexto são outras recomendações importantes. É indispensável prevenir uma infecção secundária por bactéria o que iria piorar muito o quadro.

2. Pode aplicar desde os primeiros sintomas (ardência, dor nos lábios) um creme a base de aciclovir no local de início do herpes labial. Aplique uma quantidade equivalente a uma cabeça de alfinete deste creme e repita sua aplicação de 4 em 4 horas, com uma pausa durante a noite. Estudos demonstram, que algumas pomadas de uso tópico ajudam a diminuir o período de evolução da crise herpética, mas o efeito é muito discreto se comparado com o dos casos em que elas não foram aplicadas. Por isso, os medicamentos antivirais por via oral são os mais indicados para o tratamento da doença.

3. Finalmente, durante a manifestação da doença e seus sintomas desagradáveis, faça uma compressa de gelo sobre as vesículas de herpes labial, pois isso permite diminuir a dor e o desenvolvimento do vírus.

FONTE: Dr. Dráuzio Varella

Compartilhe no Facebook

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*